sexta-feira, 4 de maio de 2012

Alargamento da Liga

Vou ser contra a corrente de opinion makers que vem defendendo a ideia que o alargamento é muito mau para o futebol português e a pergunta que eu faço é simples, Porquê? O que melhorámos em passar de 18 equipas para 16? Qual foram os ganhos? Rapidamente e não querendo seguir as pisadas do anormal do presidente do Gil Vicente só consigo perceber que com menos equipas existem um campeonato mais curto que possibilita aos "grandes" fazerem as tais digressões que dão algum dinheiro. De resto o que eu percebo é que temos uma competição com meses em que se joga apenas 2 vezes e o salário (quando é pago) é rigorosamente o mesmo! Por isso e no limite para quem paga ordenados temos mais jogos que os seus trabalhadores fazem pelo mesmo preço e temos mais jogos em casa que podem reverter em mais receita se não for em publico pelo menos em publicidade e Tv. Muitos defendem que o campeonato se deve reduzir ainda mais, e volto a perguntar mas porque? Se é pelo publico então o campeonato só pode ter 5 equipas (SCP, SLB, FCP, Guimarães e Braga de quando em vez) mas para mim um campeonato não se faz sem os pequenos, já basta a taça da cerveja que é uma competição "feita" para algum grande vencer! O problema do futebol português não é o numero de equipas! Os ordenados em atraso não se resolvem com a diminuição do numero de equipas, alias se a lógica for reduzir o numero de equipa veremos ainda mais clubes a fecharem as portas porque a salvação de muitos deles é a passagem pela 1º divisão onde as receitas são 20x superiores mesmo para os clubes mais pequenos. Depois e porque pouca gente fala, penso que o alargamento na 2º liga foi das melhores decisões dos últimos anos no futebol português. Vai dar muito maior visibilidade à competição, qualquer modalidade onde os 3 grandes entrem ganha logo outro fulgor sendo futebol o crescimento será logo exponencial, o SCP B jogar com o Arouca tem certamente mais espectadores do que teve o jogo entre essa equipa e o 1º classificado da 2º liga neste momento. O que quem pensa o nosso futebol se devia preocupar era em valorizar o jogador português, criar condições para que a aposta fosse feita nos jogadores formação em vez dos contentores de estrangeiros de fraca qualidade que chegam ao nosso campeonato todos os anos. Limitar o numero de inscrições por equipa. Saudações Leoninas

14 comentários:

Lionheart disse...

A redução de 18 para 16 nao resolveu nada, assim como o alargamento nao vai resolver nada. Apenas vai aumentar ligeiramente a receita para os clube que tem receitas, havendo mais dois jogos em casa. O problema e' a falta de massa critica da maioria dos clubes e por isso a falta da viabilidade financeira de 80 a 90% dos clubes. Podíamos começar pelas instancias do futebol exercerem o seu papel e nao deixarem repetir os casos Uniao de Leiria. Mas então provavelmente nao haveria 16 equipas para começar a primeira liga, quanto mais 18....

vitor disse...

Mais uma vez em causa os direitos televisivos - de que todos se queixam!

A julgar pelos desiquilibrios têm todos razão!

Os grandes recebem muito pouco comparado com os outros gigantes europeus que defrontam na UEFA!

Os pequenos nem para a formação têm dinheiro, vale mais comprar por Milhares e vender por Milhões que nunca contabilizam!

SL

luis silva disse...

Na minha opinião deveria haver uma fusão entre a 1ª liga e a 2ª liga, por exemplo, uma única liga de 20, divididos numa zona norte de 10 e numa zona sul de outros 10. Teriamos portanto inicialmente 18 jornadas e passando os 4 primeiros de cada zona teriamos uma fase final de 8 equipas e mais 14 jornadas. Para quem chegasse ao final jogaria portanto 32 jogos. Para quem não chegasse, disputaria os 18 jogos iniciais mais 10 da permanencia. Quanto a descidas, seriam duas em cada zona.

luis silva disse...

Da mesma forma que me parece que deveria haver uma fusão entre a 2ªdivisão e a 3ªdivisão mas isso é outro assunto.
Para compor o calendário, acabaria com a taça da liga e reforçava a taça de portugal sempre com duas mãos, menos a final claro.
É uma opinião, não acredito que seja possivel haver duas ligas profissionais e duas zonas penso que ajudaria a poupar custos.
SL

vitor disse...

A negociação colectiva dos direitos televisivos centralizada na LPFP era para ontem!

Nem se percebem muito bem as duvidas num país que o que mais gosta é de invocar o que se faz lá fora! Basta olhar para o que se faz nas grandes ligas!

O Oliveira sabe muito bem que vai ter que desembolsar muito mais para manter o monopólio! As subscrições da sport tv dizem que mais 4 Milhões é muito pouco!

SL

anonymus disse...

Qual alargamento, qual carapuça!

Eu sou da opinião e conheço outras e também já li, que o melhor seria reduzir a 1ª. Liga para 12 clubes que dispustariam uma 1ª. fase de 22 jogos, que servia para escolher os 6 primeiros clubes que numa 2ª.fase disputariam o título e os lugares paras provas europeias.Os últimos 6 clubes da 1ª. fase, disputariam também na 2ª. fase, para encontrar os clubes que desceriam de divisão.

No final, teriam todos os 12 clubes disputado 32 jogos cada um, com a vantagem de no fim se ter seguramente uma Liga muito mais forte, que despertaria por isso mesmo maior entusiasmo e, por consequencia, teria maiores receitas.

Agora aumentar o numero de clubes, só servirá para que haja cada vez mais, um maior numero de salários em atrazo, com um maior numero de jogos disputados.

Uma tristeza!!!

vitor disse...

O alargamento é perfeitamente acessório, não vale nada, só está em cima da mesa porque implica o nº de clubes/votos que viabilizou a actual direcção da LPFP! À margem da Olivedesportos, que armadilhou esta merda toda na última semana!

Já a margem de lucro do Olivedesportos continua absolutamente pornográfica, é quem sustenta todo o sistema, inclusive Fernando Gomes que muito ia fazer pelo negócio futebol?!

A negociação colectiva dos direitos televisivos é uma necessidade imperiosa e uma inevitabilidade!

Com a Olivedesportos a abrir os cordões à bolsa e todos a receber muito mais!

E também não adianta nada dizer que 4 Milhões pagavam todos os salários em atraso no futebol português! Onde há gestão danosa vai continuar, com mais ou menos direitos televisivos!

SL

Mike Portugal disse...

Nem 18 nem 16 clubes. A decisão de baixar para 16 foi tão burra como a que agora querem fazer. Nós não temos adeptos suficientes para ter tanto clube profissional na 1ª liga.

vitor disse...

O Joaquim Oliveira agradece que não discutam o essencial!

Eu sou mais modesto, não faço a mínima ideia sobre o nº ideal, se se deve manter, encolher ou alargar! Mas a LPFP e a FPF sabem!

O nº actual tem como pressuposto um estudo onde participou Rui Moreira, lobista de 1º classe, mais preocupado com a redistribuição por associações a norte! Deve ter dado jeito naquele ano, também não faço a mínima ideia!

Mas não perceber quem beneficia com o actual sistema?! Basta ver quem continua a ganhar!

Que todos os protagonistas do futebol português têm em comum a Olivedesportos?! Como o "independente" Fernando Gomes!

Na actualidade mais 2 ou menos 2 não faz a mínima diferença, mas podem ajudar a mudar a face do futebol português!

SL

vitor disse...

Não é o alargamento "per si" que preocupa o sistema!

Os mais atentos notam os tiques do papa na FPF! Na pressa de desviar atenções com o Paulo Bento!

SL

luis silva disse...

caro vitor, uma negociação colectiva não benefecia o Sporting e duvido muito que o seu lider seja a favor.
E não me parece que aumentando o numero de clubes o sr.Oliveira se ponha a mandar dinheiro pela janela para os clubes cá em baixo apanharem.
Bom seria que o sr.oliveira tivesse concorrência mas infelizmente tal não irá acontecer nos proximos 10 ou 20 anos.
SL

vitor disse...

luis silva,

A negociação colectiva vai ser uma realidade sem ser preciso nenhuma proposta de um Robin Hood fundamentalista!

Claro que a versão que prejudica os grandes vai andar por aí!

Não sei como assistiu à época em curso, mas devia ter ficado claro que alguma coisa vai ter que mudar!

De resto é como diz, aos sportinguistas basta subscrever a vontade da nossa direcção!

SL

Gonçalo Correia disse...

Nem todos os pequenos têm a mesma dimensão, convenhamos.

Uma coisa é haver equipas pequenas como as espanholas (ver Liga Europa), inglesas (há pelo menos 8 equipas de nivel muito superior aos Maritimos e Guimaraes), italianas, etc etc.

Outra é haver equipas pequenas como o Feirense, o Paços de Ferreira, o Beira-Mar...

Quem é que quer ver um jogo entre estas equipas? Sem adeptos, sem futebol...

Portugal não tem mercado (dimensão do País, preferência nacional pelos grandes) para 18 ou 20 equipas numa Liga que se quer tão forte como as principais da Europa.

De todo...

Gonçalo Correia disse...

Vítor,

E se a Liga Portuguesa ganhasse ainda maior notoriedade internacional, tivesse jogadores ainda mais de renome e começasse a ter equipas capazes de disputar ainda mais vezes a Champions até ao fim?

Valorizando a competitividade e a qualidade da Liga Portuguesa (inovemos!), teremos por certo outra margem (e outro mercado) para negociar direitos televisivos, patrocínios, etc etc.

Ter um Barcelona - Bilbau é o mesmo que ter um Sporting - Marítimo? Não é de todo. Reduzindo as equipas, as grandes aproximar-se-iam ainda mais das grandes internacionais, e as pequenas dos seus principais "concorrentes" nos outros países.

O que, por sua vez, iria atrair mais mercado e procura na questão dos direitos desportivos.

Vamos aumentar para 18. Porquê manter na Liga entre 4 a 8 equipas que só desvalorizam os jogos e a competição?