quarta-feira, 29 de maio de 2013

Jorge Mendes FC

Em pouco menos de uma semana o homem voltou a ganhar o Euromilhões sem se descolar à casa da sorte. No futebol existem coisas fantásticas, umas por serem bonitas dentro de campo, outras por ninguem perceber como é possivel fora dele.
Este "senhor" tem conseguido, negócios que mais nenhum outro empresário consegue. Ou tem estreitas relações com presidente de clubes, ou é empresário de treinadores, seja de que maneira for é o empresário que mais facilmente arranja colocação, a bom preço para os bons e a preço razoavel para os pernetas.
O SCP neste momento tem um grande jogador, com muito mercado que ele representa, Rui Patricio. Sempre coloquei a fasquia da venda dele nos 15M. Abaixo desse valor sempre disse que seria uma má venda, alias eu disse que (neste momento já que ricky já foi) se fosse presidente só o venderia pela clausula.
Numa altura que tanto se tem falado nestes "abutres" e da forma como nos devemos relacionar com eles, na teoria a posição de força que o Presidente fez questão de comunicar eu apoio-a a 100%, o problema (para nós) é que existe uma distancia entre a teoria e a prática e o que idealmente é o melhor para nós nem sempre é realmente o que se deve fazer.
No futebol actual a esmagadora maioria dos negócios de jogadores são feitos pelos empresários, se falarmos então de jogadores que pretendemos colocar ainda mais a % aumenta, por isso devemos sim mostrar que não estamos para ser enganados mas não podemos apanhar moscas com vinagre.
Saudações Leoninas

7 comentários:

Endhoscopy disse...

Estou plenamente de acordo com o derradeiro parágrafo do texto.

Infelizmente, o Sporting necessita reverter a relação de forças com os empresários. Consegui-lo num momento de fragilidade financeira ainda mais difícil se torna.

A meu ver, há apenas um caminho: reduzir ao máximo o número de aquisições.

E, caso seja necessário, começar a impor regras muito restritas aos nossos jovens. Se há empresários que não compreendem a necessidade duma parceria saudável com o clube, então o Sporting deve começar a privilegiar outros agentes.

Caberá aos jogadores decidirem entre uma formação de excelência e o nome do empresário.

Jorge Alemão disse...

Disse-o Bruno de Carvalho e concordo - é aceitavel pagar comissões de vendas e acho que podemos e devemos trabalhar com os empresarios de forma a que eles sejam parceiros nas vendas de jogadores.

O que não podemos fazer é estar a pagar rios de dinheiro em comissões, quando se compra ou renova com algum jogador.

Agora vendermos o Patricio por 16M ou 18€ e 10% ir para o bolso do empresario é completamente natural e tem faltado isso ao Sporting.

90% dos clubes de topo têm orçamentos rigorosos - 90% desses clube nunca pagaria mais de 15M por um jogador - o que tem faltado ao Sporting é ter alguem a conseguir vender (impingir) o que de bom temos aos Chelsea, City, Real, PSG e agora Monaco.

E isto é o que nos tem distanciado de porto e benfica.

TJ disse...

Concordo. O Patricio a sair tem que ser uma grande venda, pois além da qualidade que tem, é titular da selecção nacional, tem mercado e podemos vende-lo em qualquer altura, não sendo necessário fazer negócio depois da pior época de sempre, sem grande margem negocial.
Wolfswinkel na minha opinião também se deveria ter feito o mesmo, pois é um jogador que também teria sempre mercado e que ainda estava a crescer, como tal poderia ser negociado em melhores condições.
Por fim, a Bruma e Ilori aplica-se o mesmo, como tal gostava que houvesse um esforço nas suas renovações.

Mike Portugal disse...

Pronto, acabou a novela Josué. Já foi contratado pelo FCP.

FCS disse...

Graças a Deus!

Daniel disse...

Mas alguém se importava de pagar 20 milhões de comissões se receber 70? Isto são uns tiros de pólvora seca para os baldés desta vida. Só espero é que não sejam tiros nos pés.

O que nos vale é que se há alguém que percebe de comissões de jogadores é o inácio.

Sócio 80610 disse...
Este comentário foi removido pelo autor.