segunda-feira, 29 de setembro de 2014

E agora ... os Fundos!

A Uefa vem dizer que a partilha de passes terá que acabar na Europa, em Portugal e mais precisamente numa grande fatia dos sportinguistas foram grandes os festejos tomando isso como uma vitória na luta de BdC contra esses mesmos fundos.
Querendo ser o mais objectivo possível, BdC não ganhou rigorosamente nada, aliás em 2011 todo o seu projecto baseava-se precisamente num... fundo (como as coisas mudam...) mas BdC a unica coisa que pode realmente ganhar é o caso Doyen e o SCP não necessitar de pagar mais de 9M ao fundo mas isso são processos completamente diferentes.
Este assunto tem que ser visto por 2 lados, se por um lado esta decisão só beneficia os mais poderosos, campeonatos onde os clubes tem receitas suficientes para comprar os melhores, iremos ver Portugal a enfraquecer gradualmente em relação a esses países, porque não teremos capacidade financeira para construir planteis com qualidade como o fazíamos até hoje. Ou seja os fundos resolviam os problemas de liquidez que todos os clubes portugueses tinham e vão continuar a ter, da mesma maneira que a Oliverdesportos fez esse serviço nos anos 90 e agora é olhada pela generalidade das pessoas como um bicho papão.
O outro lado da questão é que os fundos vão arranjar maneira para contornar a lei, os fundos querem ganhar dinheiro como é lógico (e muito dinheiro) e os clubes querem ter melhores jogadores, por isso mal a lei entre em vigor certamente haverá estratégias para contornar esse "problema".
Esta medida faz-me pensar igualmente que haverá mais clubes comprados por grandes "investidores", foi um fundo que comprou o valencia por exemplo, magnatas que compram clubes têm ligações a fundos, a traffic entre clubes no brazil, é detentora de grande parte do capital da SAD do Estoril e a Uefa o que achará disso?
Não será igual partilhar % de passes de jogadores ou partilhar % de um clube ou SAD? A falácia que se tenta passar para o exterior da intromissão dos fundos no percurso desportivo dos jogadores é uma autentica parvoíce, porque os direitos económicos podem estar partilhados mas os direitos desportivos estão por completo no clube e a vida dele quem sempre decidiu foram os clubes a menos que estejam contratualizados acordos que por determinado dinheiro o jogador terá que sair mas isso são acordos aceites por ambos e são acordos que tanto podem ser estabelecidos entre clubes e fundos, como entre clubes, e até por clubes e jogadores.
Por isso esta medida isolada, para mim em NADA beneficia o nosso clube e em geral o nosso futebol, se em conjunto com esta medida não introduzirem medidas para reforçar a aposta na formação (medida essa que prejudicava os tubarões) o nosso futebol vai descer uns bons degraus no panorama europeu.
Saudações Leoninas

29 comentários:

Rui Pedro disse...

"os direitos desportivos estão por completo no clube e a vida dele quem sempre decidiu foram os clubes"

Então o que se passou entre o Sporting e a Doyen, em que o seu Diretor veio a Alvalade "mascarado" de um clube interessado no Rojo a pressionar o negócio não conta...?

Então a recente investigação do Guardian sobre a relação dos fundos e os empresários (Jorge Mendes) não conta...?

Este post acaba por passar ao lado da grande questão, ou seja, da influência dos empresários no movimento dos jogadores dos fundos onde têm interesse...

Cumprimentos
Rui P.

António Gomes disse...

"porque não teremos capacidade financeira para construir planteis com qualidade como o fazíamos até hoje"

Queres dizer o Porto e o Benfica, pois nós nunca construímos planteis desses à custa de fundos. Por isso acho que é uma boa notícia para o Sporting e para o futebol português, pois assim terá de se apostar mais na formação.

Quanto ao beneficio dos ricos, até parece que os fundos nivelam o nosso alcance aos jogadores caros, e com esta nova regra deixamos de ter acesso a eles (inclusive o Benfas e o Porcos)

rpti disse...

revisor, não fizeste o trabalho de casa... Devias ter lido o artigo do the Guardian ou o do L'equipe. Esqueceste-te de referir que, os fundos, tal como fazerm nos outros mercados de investimento, inflacionam os preços dos jogadores! E que esses jogadores que agora só eram acessíveis por milhões, contratavas antes ao preço da uva miljona! Ou achas que o mangara vale 50M!? Ou o David Luis? Até mesmo Di maria ou Falcão!? E quanto aos direitos desportivos pertencerem aos clubes e serem os clubes a decidir o seu futuro, deves estar a ficar senil... Já te esqueceste dos casos Ilori, Dier, Bruma, Pedro Mendes, etc!? E esses nem tinham fundos envolvidos, apenas empresários medrosos que só querem ganhar comissões! Portanto, não sejas parvo pá! O BdC não ganhou nada, os clubes vão ficar menos competitivos, mas ganha a verdade desportiva, ganhará a formação de jogadores portugueses e a selecção! E perdem, certamente os oportunistas que se querem encher!

rpti disse...

Mangala

leao revisor disse...

Rui Pedro

O SCP vendeu o rojo, pelo preço que quis e a quem quis, foi pressionado a vender o jogador? Obviamente que sim!

O BES quantas vezes nos pressionou a vender jogadores?

Em relação ao Jorge Mendes a questão é muito mais complexa do que parece, ele domina completamente o futebol. Movimenta jogadores como ninguém.

Se tiver reparado eu considero nos post que tenho escrito ao longo dos anos, que a "figura" do empresário faz parte do futebol, tanto para comprar bem como para vender bem.

Se estivermos contra eles, faz ter mais problemas do que benefícios.

leao revisor disse...

Rtpi

Sendo assim tudo continuará na mesma porque as comissões vão continuar a existir, e se acha que o dier, Ilori, bruma e Pedro Mendes saíram única e exclusivamente por causa dos empresários estara a ser apenas ingênuo.

Os fundos de investimento resolvem problemas de liquidez, nós em Portugal sem Parceiros não temos hipotese em relação as grandes ligas europeias e se isto for para a frente e não existir resposta dos fundos veremos isso.

Antonio Gomes

Portugal sempre foi uma ponte para a Europa, se os jogadores começarem a não chegar ca por falta de condição financeira, até porque o mercado brasileiro já paga muito mais que o nosso, veremos como os clubes vão conseguir realizar as tais mais valias para equilibrar o orçamento.

Basta uma leitura rápida dos R&C para ver o nível de receitas nossas com os dos rivais que referiu, mesmo que eles gastem bem mais que nós, se forem obrigados a baixar os gastos, vão continuar com mais receitas do que nos e considero que isso será uma vantagem para eles.

Schmeichel disse...

Existe uma diferença entre o fundo que o BdC tinha apresentado e a Doyen e outros fundos que pululam pelo futebol: a transparência.

Na campanha eleitoral os russos detentores do fundo deram a cara e as regras de funcionamento foram devidamente explicadas. Não tem comparação com a Doyen em que quem não sabemos quem são os donos e quem dá a cara é alguém com um passado ligado a negócios obscuros (por exemplo, ao escândalo da MSI no Brasil).

Esta decisão da FIFA é uma mini-vitória do BdC. É certo que não é a vitória mais importante, que seria a vitória no processo contra a Doyen, mas não deixa de ser uma pequena vitória, já que coloca em causa a bondade dos negócios desses fundos.

Rui disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Rui Pedro disse...

Leão Revisor:

O Sporting vendeu a quem quis e pelo preço que quis, aka preço real do jogador, pois o BdC mandou a Doyen às couves e não cedeu à pressão! Se te recordares, as primeiras notícias (valem o que valem) falavam de propostas na ordem dos 12K... para 20K vai muito dinheiro!

Os empresários sempre existiram e irão sempre existir! Mas nos últimos anos assistimos ao fenómeno dos FdI que vieram alterar completamente o cenário do futebol a nível mundial. Vejamos o caso FCP: com a equipa miserável que tinham o ano passado (Licás e C&Lda), se o futebol seguisse o seu curso normal (tipo 10 anos atrás), iriam demorar praí uns 2 anos a ter novamente uma equipa competitiva, o que alterava o cenário competitivo nacional (normal), naturalmente... Ora o que aconteceu foi o seguinte: O FCP, com a ajuda dos empresários e alguns FdI (Fundos de investimento) conseguiu fazer uma equipa completamente nova, altamente competitiva (pelo menos nas individualidades) e sem gastar € por aí além!

Resumindo: os FdI só vieram alteram de forma artificiala competividade,, pois quem não tem boas relações, ou a quem os FdI não interessem, acabam sempre por ficar para trás! E se juntarmos o interesse dos empresários aos FdI, então aí parece um filme já visto da verdadeira Máfia...

O fim dos FdI será optimo para nós, pois ficaremos a competir de armas iguais aos nossos rivais! "Ai e tal somos a melhor formação", mas nunca poderemos competir a com os nossos rivais! Das duas uma, ou queremos ser só um clube formador ou queremos ser campeões! No atual modelo não seremos campeões certamente! Será que alguém é ingénuo ao ponto de acreditar que os orçamentos milionários dos últimos 4 anos do FCP e SLB apareceram de repente do nada?? Ganharam o Euromilhoes foi? E com isto o nosso Sporting foi ficando para trás, sempre a afundar, até que apareceu o BdC e deu um murro na mesa! Se para bem? A história acabará por escrever isso...

Cumprimentos
Rui P.

javardeiro disse...

Lamentavelmente discordo em absoluto. Acho que a loucura de viver a crédito nunca funcionou nem para nenhuma família, nem para nenhum clube.

Concordo que um uso criterioso de um fundo pode trazer benefícios pontuais, desde que usado numa escala muito pequena na estrutura de um plantel. Mas nunca foi essa a lógica adoptada... acima de tudo pela lógica de ambição/necessidade de ganhar dos 3 grandes.

Também devo acrescentar que estas instituições que formalizam estes fundos, são de parte muito incerta, de muitas ligações a dinheiro de apostas e branqueamento de capitais.

A desvantagem financeira e os maus hábitos de gestão dos clubes portugueses é tão grande que penso ser mesmo razão para ficar mais descansado que não possam usá-los no futuro.

Para mim é uma boa notícia para o futebol mundial sejam eles clubes pequenos ou grandes. Fingir que se pode contratar grandes jogadores impede muitas vezes de ver a questão principal...quem não tem dinheiro não tem vícios. Os fundos foram uma forma muito lucrativa de 3s capitalizarem os "vícios" dos grandes clubes com grandes crises financeiras.

javardeiro disse...

Lamentavelmente discordo em absoluto. Acho que a loucura de viver a crédito nunca funcionou nem para nenhuma família, nem para nenhum clube.

Concordo que um uso criterioso de um fundo pode trazer benefícios pontuais, desde que usado numa escala muito pequena na estrutura de um plantel. Mas nunca foi essa a lógica adoptada... acima de tudo pela lógica de ambição/necessidade de ganhar dos 3 grandes.

Também devo acrescentar que estas instituições que formalizam estes fundos, são de parte muito incerta, de muitas ligações a dinheiro de apostas e branqueamento de capitais.

A desvantagem financeira e os maus hábitos de gestão dos clubes portugueses é tão grande que penso ser mesmo razão para ficar mais descansado que não possam usá-los no futuro.

Para mim é uma boa notícia para o futebol mundial sejam eles clubes pequenos ou grandes. Fingir que se pode contratar grandes jogadores impede muitas vezes de ver a questão principal...quem não tem dinheiro não tem vícios. Os fundos foram uma forma muito lucrativa de 3s capitalizarem os "vícios" dos grandes clubes com grandes crises financeiras.

Rodrigo disse...

Realmente só o LR para ser assim tão desonesto nos seus argumentos.
Recusa compreender a diferença da Doyen com o fundo dos russos.
Recusa perceber a razão que levou à quebra do contrato com a Doyen.
Ao meter tudo no mesmo saco está a querer fazer-nos passar por parvos.
Mas não passa de apenas mais uma tentativa de criticar algo nesta direcção.
É doentio.

António Gomes disse...

"veremos como os clubes vão conseguir realizar as tais mais valias para equilibrar o orçamento."

As mais valias virão sempre, seja de compras cedo, seja da formação.

"Basta uma leitura rápida dos R&C para ver o nível de receitas nossas com os dos rivais ..."

Quais relatórios? Os do porto nunca os vi, os do benfica estão cheios de negócios à fundo - Rodrigos, Andrés Gomes e Robertos (pelos vistos foi vendido mais de uma vez pelos benfas, ou vendido ou contabilizado como tal. Alguém acredita nestes R&C...

Por isso não falo de R&C do país da Alice das maravilhas.

Leão sem Palas disse...

Revisor

Continuas sempre o mesmo.

Como é óbvio para o SCP, são boas notícias.

A marca fifica e o clube do velho dos peidos são muito mais apetecíveis do que nós, por isso eles, com apoio dos fundos andam sempre á nossa frente, têm sempre melhores planteis.

Sem fundos nivelamos o futebol em Portugal. Se não podemos competir na Europa ao mesmo nível? Temos pena. Não há guito. Se não competimos em tantas actividades com os países europeus, porque haveríamos de o fazer no futebol?

Lá está o BdC a acertar outra.

Porra que tens azar. O Homem ainda vai fazer o pavilhão á pala de um fundo. Só faltava dar-lhe o teu nome e o do teu amigo Diogo.

SL

anonymus disse...



"Esta decisão da FIFA é uma mini-vitória do BdC."


Ah!Ah!Ah!Ah!Ah!

Ó ridículo a que chegou certa gente!

A veneração é total!

Ainda o vão propor para a canonização!

O homem falou com o Platini, mas foi o Blatter que conseguiu convencer! Certamente por telepatia!

Nem vale a pena tentar tecer mais algum comentário, porque não consigo concentrar-me por tanto me rir!

Pedro disse...

Ahahahah

Rodrigo disse...

O anonymus já deve ter úlceras à conta deste mandato do BdC.

Rodrigo disse...

E ninguém está aqui a dizer que BdC é responsável por esta decisão da FIFA.
Mas o sentido de oportunidade do nosso presidente foi bom.

rpti disse...

Para mim, e para um clube como o Sporting, que sempre prezou e lutou pela transparência no futebol, o fim dos Fundos é de salutar, pois são tudo menos transparentes, desde a sua constituição, á forma como negoceiam e subvertem o futebol de acordo com as suas preferências (basta olhar para o que fizeram ao SCP a quem ofereceram o brahimi por mais do dobro do que o venderam ao Porto).

rpti disse...

O financiamento do futebol tem a ver com a capacidade dos clubes em gerarem receitas e essas aumentam de acordo com o sucesso dos clubes! Os clubes com maior sucesso tem mais receitas televisivas, vendas de jogadores, mais associados, etc... isto é o mod como sempre foi antes dos fundos e como deverá voltar a ser! Faz algum sentido o Braga andar a contratar jogadores por 10M? Onde estão as receitas de um clube dessa dimensão para realizar essas compras? Com a tua teoria LR, se por simpatia um empresário resolver colocar uma serie de jogadores de craveira no Penafiel e fazer dele Campeão Nacional, tu achas bem? O que há de verdade desportiva nisso?

António Gomes disse...

Não lhe chamaria verdade desportiva, mas sim sustentação desportiva.

José Viana disse...

Caro Revisor,

Então esta medida não é fantástica para a formação?
Ou a formação só lhe interessa em determinadas situações?
Eu sei que é dificil manter a coerência quando se tem uma agenda escondida, mas caramba...
SL
JCV

Schmeichel disse...

Ao Anonymous só tenho a dizer que não disse nada do que ele interpretou. Se calhar é-lhe difícil compreender que a decisão, mesmo sem qualquer influência do BdC, lhe dá alguma força porque coloca em questão a bondade da intervenção dos fundos.

Não acho que tudo o que o BdC tem feito tem sido bem feito (não digo mal de tudo, não digo bem de tudo): por exemplo, ao acabar com as parcerias com fundos vamos precisar mais do que nunca de uma boa formação e a verdade é que nada tem sido feito para inverter a lógica de perda de qualidade que se tem vindo a verificar (e que já vem do tempo do Bettencourt).

anonymus disse...


Nesse caso devias-te ter exprimido de outra forma.

Quanto a ter-se necessidade de uma formação de grande qualidade, estou plenamente de acordo.

No entanto, o Sporting tem que se preparar para um cerco cada vez mais apertado a Academia, por parte dos grandes tubarões e especialmente dos 2 nossos principais rivais, pois por aquilo que se tem visto últimamente, temo que os resultados dos "olheiros" do Clube, trabalhem de forma indirecta para os outros, que só terão que esperar que os nossos melhores jovens atingem a idade mínima necessária para assinar o primeiro contrato, para lhes apresentar numeros que o Clube não poderá ou não quererá igualar.

É o meu receio e por agora fico por aqui.

Pedro disse...

Há uma coisa que, sinceramente, me faz muita confusão. Simplesmente não percebo.

A defesa cega que se faz aos fundos quando o que eles conseguem é trazer os jogadores de melhor qualidade (nem sempre) mas a um custo muito elevado basta ver o aumento do nosso passivo… e a mama vai acabar, quando? Simples quando os clubes perderem a capacidade de contrair mais dívida.

Concordo muito com a opinião do Javardeiro e até dou um exemplo de um clube que até este ano, para mim, tem feito uma gestão muito interessante. O Braga que é indesmentível que tem crescido a pulso e um sinal de consistência desse trabalho é por exemplo o ordenado do Eduardo que era de 700 mil, não renovou por ser um ordenado muito alto…. Não faço a mínima ideia de qual o orçamento do Braga para o futebol e pode cair por água esta exposição mas para um clube que não é dos três grandes conseguir chegar a estes valores…

Este ano acho que estragaram tudo até pode correr bem mas a que custo???
Recorrer aos fundos tem de ser com muito cuidado com pés e cabeças e sobretudo tem de ser numa perspectiva de parceria e não de necessidade absoluta para se ser grande.

Ponderar potenciais aumentos de receitas e desportivas com os aumentos de custos e ver se vale a pena até porque pode correr mal… e depois como é? Fica-se uma catrefada de anos para se recuperar de uma aposta num ano ou dois? (pode ser uma estratégia é certo mas que não seja por ignorância)

Pedro G. (para não se confundir com o outro Pedro)

Pedro disse...

Já agora 700 mil anuais :)

leao revisor disse...

Pedro

Quando se dá o exemplo do braga e se critica os fundos...

O Braga começou a crescer quando passou a ser um interposto do Jorge Mendes!

Ferreira disse...

Crescer artificialmente. Porque quando voltam à terra voltam a ser o clube de meio da tabela que são, e sempre foram. Fazer a performance depender de um fundo ou agente é doentia. Daqui a pouco chega-se ao ponto de dar o nome de agentes e fundos a estádios ou clubes. A jorge mendes arena ou o Doyen Sport Clube. Os fundos podem ser úteis e válidos se bem regulados. Sem qualquer regulação são eles (que têm o capital) a mandar e a decidir jogos e competições.

Pedro disse...

Pois desconheço, mas desde quando é que isso aconteceu?

Surgem rapidamente duas perguntas:
O Braga começou a crescer por causa dos fundos?
ou os fundos quando se aperceberam que podia haver ali potencialidade de retorno tentaram entrar no Braga?
Há duas coisas importantes aqui:
1-Estes "Srs" dos fundos não andam a brincar.
2 - Não entram para perder dinheiro.
Para além disso é inegável o poder, financeiro e não só que está associado a estes "Srs"

Sinceramente para ser uma argumentação sólida precisava de estar a olhar para os R&C e apresentar dados, pois acho que assim é que se consegue "marcar pontos".

Já agora uma pequena observação, eu não sou completamente contra os fundos, sou sim contra "a defesa cega que se faz aos fundos".

São um grupo económico como outro qualquer que têm os seus próprios interesses e pode enganar os mais desatentos com as suas "boas vontades".

Pode não ter muito a ver, mas olha para o exemplo das PPP, são importantes porque permitem antecipar investimentos mas da forma como algumas foram feitas foram simplesmente ruinosas.

Tudo depende da capacidade e interesses de quem faz esses dois negócios.